Weber Micael da Silva

Com a pandemia, muitas pessoas pararam de fazer suas atividades físicas, relatando hábitos prejudiciais, como o consumo imoderado de alimentos e bebidas alcoólicas, obtendo então, uma evolução de desordens metabólicas físicas e mentais. 

  Porém, Weber Micael da Silva ressalta que é de extrema importância inserir atividades físicas em sua rotina, para isso, ele aponta que reservar um tempo para essas atividades é essencial, principalmente para obter um sono mais tranquilo e uma vida saudável. 

Os riscos de uma vida sedentária. 

A falta de exercício deixou de ser uma preocupação apenas para ter uma estética e corpo bonito e passou a ser um gravíssimo problema para a saúde pública, sendo responsável por dois milhões de mortes por ano. 

Muito se pensa em hipertensão, diabetes e obesidade quando se fala sobre esse assunto, porém o impacto dos hábitos sedentários podem ser avassaladores. Especialistas sugerem que pessoas ativas têm menos riscos de serem diagnosticadas com problemas mentais e sedentarismo. 

Além disso, Weber Micael da Silva aponta que o indivíduo sedentário pode apresentar problemas de autoestima, ansiedade e estresse, além de uma doença mais grave como Alzheimer e Parkinson. 

Benefícios da atividade física para sua saúde mental. 

De maneira geral, a prática de exercícios físicos melhora a capacidade cognitiva e diminui os níveis de ansiedade e estresse. Weber Micael da Silva diz que fazer exercícios contribui para o melhoramento da autoestima, autoconceito, imagem corporal, funções cognitivas e socialização das pessoas. Portanto, a atividade física é indispensável para obter uma boa saúde.

Atividade física e a redução do estresse. 

Dizem que a atividade física regular é uma das melhores ferramentas para prevenir as pessoas de diversas doenças, visto isso, algumas pessoas relaxam fazendo grandes atividades motoras como o esportes, corridas e exercícios físicos no geral, já outras pessoas, preferem exercícios respiratórios e relaxamento progressivo para aliviar o estresse. 

Atividade física e a depressão. 

No combate à depressão, o exercício físico é extremamente reconhecido, justamente porque a atividade física proporciona distração dos estímulos estressores e dá ao paciente um controle maior sobre seu corpo, além de toda interação e contato social que a atividade promove. 

Há também, fatores biológicos relacionados ao efeito da endorfina, que é uma substância criada através do exercício, podendo produzir um estado de bem-estar. O exercício físico associado ao tratamento também pode promover melhoras na produção de monoaminas cerebrais, como serotonina e noradrenalina.

Porém, um problema comum em indivíduos com depressão é a falta de engajamento para a prática de atividade física. Por isso, o profissional de educação física envolvido precisa agir em conjunto com o médico e adequar o treinamento ao plano terapêutico ou psiquiátrico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui