O Rio Grande do Sul completa neste sábado (10) sete meses desde a confirmação de seu primeiro caso de coronavírus. Até agora, o Estado soma ao menos 211.773 infectados (93% já recuperados), 2.249 deles acrescentados pelo mais recente boletim da Secretaria da Saúde, divulgado no final da tarde passada. Já os óbitos chegam a 5.100, com 32 novas vítimas.

A estatística é detalhada nas plataformas digitais, redes sociais e sites do governo gaúcho e da própria Secretaria Estadual da Saúde, incluindo o Twitter, com atualizações frequentes.

Ainda no que diz respeito às perdas humanas, o relatório desta sexta-feira abrange vítimas de 32 a 99 anos, embora somente seis dos 32 mortos gaúchos mais recentes pela Covid tenham menos de 60 anos, o que representa menos de 20%. Confira, a seguir, a lista desta sexta-feira, com informações sobre a cidade de residência (por ordem alfabética), gênero – feminino ou masculino – e a idade.

– Alvorada (homem, 74 anos);

– Alvorada (homem, 76 anos);

– Arroio do Tigre (mulher, 82 anos);

– Bento Gonçalves (mulher, 62 anos);

– Canoas (homem, 32 anos);

– Carazinho (mulher, 71 anos);

– Caxias do Sul (homem, 78 anos);

– Caxias do Sul (mulher, 72 anos);

– Cruz Alta (homem, 45 anos);

– Estância Velha (homem, 73 anos);

– Gentil (homem, 68 anos);

– Gravataí (mulher, 61 anos);

– Gravataí (mulher, 59 anos);

– Gravataí (homem, 78 anos);

– Gravataí (mulher, 71 anos);

– Guaíba (mulher, 99 anos);

– Passo Fundo (mulher, 70 anos);

– Porto Alegre (mulher, 68 anos);

– Porto Alegre (homem, 50 anos);

– Porto Alegre (mulher, 85 anos);

– Porto Alegre (mulher, 77 anos);

– Porto Alegre (mulher, 69 anos);

– Porto Alegre (mulher, 95 anos);

– Porto Alegre (homem, 54 anos);

– Porto Alegre (homem, 84 anos);

– Porto Alegre (mulher, 97 anos);

– Porto Alegre (mulher, 87 anos);

– Porto Alegre (homem, 75 anos);

– Porto Alegre (homem, 65 anos);

– São Borja (homem, 67 anos);

– São Leopoldo (mulher, 84 anos);

– São Leopoldo (homem, 56 anos).

Caso inaugural

A chegada da pandemia ao mapa gaúcho foi oficializada no dia 10 de março (duas semanas após São Paulo anunciar o primeiro registro no Brasil), por meio de uma coletiva de imprensa com o governador Eduardo Leite. Como caso inaugural no Estado, um homem de 60 anos, residente em Campo Bom (Serra) e que no dia 23 de fevereiro havia retornado de viagem à Itália – um dos epicentros da doença na época.

Enquanto a informação era divulgada, o Palácio Piratini já admitia a notificação de outros 86 casos suspeitos de Covid-19 que permaneciam sob observação. Uma dessas pessoas se tornaria, no dia seguinte, o caso comprovado de número 2 no Estado e a primeira na estatística de Porto Alegre: uma mulher de 54 anos e que também fizera turismo na Itália, voltando no dia 6 de março.

Já a primeira morte causada pela Covid-19 seria registrada no dia 25 de março, em Porto Alegre. Ao anunciar o fato por meio de nota oficial, o prefeito Nelson Marchezan Júnior detalhou que a vítima era uma mulher de 91 anos, internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Moinhos de Vento.

A exemplo do que acontece em praticamente todo o planeta, dois segmentos populacionais gaúchos seriam os mais vulneráveis à doença: os pacientes com outras doenças crônicas (cardíacas, respiratórias, circulatórias ou neurológicas, além de diabetes, câncer e obesidade, dentre outros males de saúde) e os idosos – o recorde no Estado é o de uma anciã de 107 anos, falecida em setembro.

Em termos de abrangência territorial, a pandemia ainda não chegou a somente dois dos 497 municípios gaúchos: Cerro Branco (Região Central) e Garruchos (Fronteira-Oeste), ambos sem qualquer registro de contágio até o momento. Juntas, essas pequenas cidades representam menos de 0,5% do total.

(Marcello Campos)