A PF (Polícia Federal) deflagrou nesta semana a operação “Sedução”, que investiga ocorrências de cárcere privado e tráfico internacional de pessoas para finalidade de exploração sexual. Em colaboração do Ministério das Relações Exteriores, por intermédio da Embaixada Brasileira em Minsk, a ofensiva identificou como gaúchos uma vítima e um suposto líder da quadrilha.

A apuração teve início em setembro, após uma vítima brasileira ter escapado de um agressor e se refugiado na Embaixada do Brasil em Minsk, na Bielorrússia (Leste Europeu).

Essa vítima, de 18 anos, natural de Lageado e com residência em Porto Alegre, vinha sofrendo abusos psicológicos e físicos de cunho sexual pelo investigado, também brasileiro, de 30 anos, natural de Florianópolis (SC) mas morador da capital gaúcha. Ele é apontado como o chefe de um grupo especializado nesse tipo de crime.

Após diligências e obtenção de ordens judiciais, foi cumprido um mandado de busca e apreensão em Porto Alegre. A operação também resultou na emissão de mandado de prisão do investigado, cumprido na quarta-feira em Minsk, por agentes da polícia bielorrussa, após sua inclusão na lista de “difusão vermelha” da Interpol, a polícia internacional.

Também foram apreendidos equipamentos eletrônicos, notebooks, mídias, anabolizantes e objetos relacionados, segundo a investigação, a práticas e abusos sexuais.

(Marcello Campos)