O ministro Celso de Mello, decano do Supremo Tribunal Federal (STF) que está prestes a se aposentar, pediu na manhã desta segunda-feira, 5, para que seja incluído na pauta do plenário físico a discussão se o presidente Jair Bolsonaro deve depor presencialmente ou não no inquérito sobre a tentativa de interferir politicamente na Polícia Federal.

O último pedido do ministro Celso de Mello deve ser atendido pelo presidente da corte, Luiz Fux. Taí um bom exemplo do que o poder de pautar as votações do Supremo agrega a Fux, que prefere manter um distanciamento respeitoso com os outros poderes, como mostrou a coluna.