A Secretaria Estadual da Saúde (SES) não confirmou nenhuma morte por coronavírus nesta segunda-feira (11). É a segunda vez que isto ocorre desde 27 de março.

Com isso, o Rio Grande do Sul tem, em toda a pandemia, 39.160 vítimas da doença.

A média móvel de óbitos baixou mais 28% em comparação com duas semanas atrás, e tem 10 mortes diárias, em média, nesta, índice mais baixo desde 20 de janeiro. Já são 40 dias de quedas constantes na média de mortes.

O estado também tem 2.297.644 casos conhecidos de coronavírus desde o começo da pandemia. Nesta segunda, foram identificados mais 418 infectados.

O número de pessoas com o vírus ativo no organismo e que estão em recuperação é de 8.814, ou seja, 0,4% do total de casos. Outras 2.249.544 pessoas são consideradas recuperadas (97,9%). Já a taxa de letalidade aparente, que é a proporção de mortes entre casos conhecidos, é de 1,7%.

A média diária de casos fechou com 2.281 novas infecções conhecidas. A variação em relação a duas semanas atrás, quando estava em 3.182 deixa o indicador com -28%.

Hospitalizações
A taxa de ocupação dos leitos de UTI no Rio Grande do Sul segue em 67%, com 1.733 pacientes em 2.602 vagas, 22 a menos desde o fim de semana.

Por outro lado, a proporção de pessoas com resultado positivo ou suspeita de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) subiu para 9% do total de internados em terapia intensiva.

Já nos leitos clínicos, de acordo com a atualização mais recente, 214 pacientes têm confirmação e 116 estão com suspeita de Covid, um leve recuo em comparação com os últimos dias.

Uruguaiana e Cachoeira do Sul são as regiões Covid que apresentam superlotação entre os leitos privados. Nas demais, apesar de algumas operarem acima de 80%, não há pacientes em excesso.

Vacinação
O estado soma 4.581.950 pessoas, ou seja, 39,9% da população, com o esquema atualizado com três doses ou duas para quem recebeu a primeira da Janssen. Além disso, outras 167,9 mil doses adicionais foram aplicadas em pessoas com baixa imunidade.

Havia, ainda, 8.914.489 pessoas (77,7%) com as duas doses das vacinas CoronaVac, Pfizer e AstraZeneca ou a dose única da Janssen. Também estão neste contingente 17,3% das crianças vacinadas que receberam duas doses.

Apesar disso, 2,9 milhões de pessoas estão com o reforço em atraso, além de 719 mil que sequer completaram o esquema vacinal primário.

A primeira dose das vacinas CoronaVac, Pfizer e AstraZeneca foi aplicada em 9.617.241 pessoas (83,8%). Entre elas, 537 mil crianças entre cinco e 11 anos, que correspondem a 55,8% deste público.

O consórcio de veículos de imprensa utiliza dados atualizados do IBGE. Logo, os dados podem diferir levemente dos levantamentos oficiais das secretarias de Saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui