Nessa semana da crise dos precatórios e de naufrágio da reforma tributária, a CNI fez um encontro com 120 empresários do Japão para atrair investimentos. Ninguém quis muita conversa.

O chefe da CNI, Robson Andrade, suou a camisa para defender o país, mas os empresários bombardearam os representantes brasileiros na reunião com questões sobre o impasse na reforma tributária, sobre o avanço das queimadas e dos crimes ambientais na Amazônia e sobre a falta de segurança jurídica demonstrada pelo governo ao propor calote nos precatórios.