Durante a apresentação da agenda legislativa para aprovar a reforma administrativa, Rodrigo Maia, presidente da Câmara, foi claro: esta não é a prioridade. A “reforma das reformas do curto prazo de 2020” é a PEC Emergencial, segundo ele. Maia acredita que a PEC Emergencial permitirá regulamentar o teto de gastos e cortas gastos de forma mais contundente, para que não se rompa o limite em 2021 e abra espaço fiscal para gastos sociais. Maia diz que ela é mais importante que todas as outras, como a reforma tributária, por exemplo.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter