Segundo investigação, suspeitos atacavam residências para usar como pontos de venda de drogas. Dois mandados de prisão temporária foram expedidos. Até às 10h20 uma pessoa havia sido presa. Operação da Polícia Civil cumpriu mandados em Canoas, na Região Metropolitana
Polícia Civil/Divulgação
A Polícia Civil realizou, nesta sexta-feira (19), uma operação contra suspeitos de expulsar moradores de casa em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Foram expedidos dois mandados de prisão temporária e três de busca e apreensão na residência dos investigados. Até às 10h20, um homem havia sido preso.
Segundo a polícia, os suspeitos utilizavam violência e ameaçavam os moradores para conseguir expulsá-los de suas residências, principalmente nos bairros Mathias Velho e Harmonia. Depois, os locais eram usados como pontos de tráfico de drogas. A investigação durou dois meses.
O diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (DPRM), delegado Mario Souza, afirmou que os casos mais graves foram o de um imóvel incendiado após o arremesso de coquetéis molotov e o de uma casa alvo de tiros.
“Se o morador não quisesse sair por algum motivo ou não aceitasse a expulsão, eles faziam o seguinte: ‘tu não queres sair, então tu vais pagar’. Aí começava a extorsão”, relatou.
Além dos crimes de extorsão, ameaça e tráfico de drogas, a polícia apura o porte ilegal de armas de fogo por parte dos investigados.
A Operação Fire (“fogo” em inglês) foi liderada pelo delegado Rafael Pereira, da 1ª Delegacia de Polícia de Canoas, parte da 2ª DPRM. Ao todo, 35 policiais participaram da ação, com o uso de 10 viaturas.
Denúncias
“É muito grave uma pessoa pensar que pode ser retirada de casa por um criminoso. Isso não vai ser permitido de forma alguma. Tem que denunciar, que a polícia vai agir”, disse o delegado Mario Souza.
As denúncias podem ser feitas de forma anônima pelos telefones 181 e (51) 3425-9056 ou pelo WhatsApp (51) 98459 0259.
VÍDEOS: Tudo sobre o RS