Divulgado nesta sexta-feira (13), o novo mapa provisório do distanciamento controlado voltou a ter bandeiras vermelhas (alto risco epidemiológico de coronavírus). A região de Porto Alegre está entre as 11 áreas com tal status, devido à piora em indicadores da pandemia. A configuração definitiva será divulgada na segunda-feira, após o envio de recursos por prefeituras e entidades locais.

Além da Capital, a 28ª rodada do sistema pintou de vermelho as seguintes Regiões-Covid: Canoas, Guaíba, Novo Hamburgo, Capão da Canoa, Caxias do Sul, Santo Ângelo, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa e Passo Fundo. Já as demais estão todas na cor laranja (risco médio).

O Comitê de Crise do governo do Palácio Piratini atribuiu esse cenário preliminar a níveis de hospitalização por coronavírus e de internações em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) que não eram registrados há pelo menos dois meses. Vale lembrar que na rodada anterior, o território gaúcho apresentava três bandeiras vermelhas.

O número de internados em leitos clínicos chegou, na quinta-feira (12), a 914 pacientes, aumento de 22% na comparação com a semana anterior. Houve elevação de 14% de infectados por coronavírus em UTI, o que provocou queda de 11% na disponibilidade de leitos para tratamento intensivo em toda a rede.

Com esse quadro, o indicador que mede a relação entre leitos de UTI livres e ocupados por Covid-19 no Estado recebeu bandeira vermelha, o que impactou as 21 regiões. As macrorregiões Metropolitana, Missioneira e Serra foram classificadas na bandeira preta (risco altíssimo) neste mesmo critério que mede a capacidade de atendimento dos casos que necessitam de tratamento intensivo.

O único indicador que não apresentou elevação foi o de óbitos, com redução de 22%. As maiores variações foram em internados em leitos clínicos confirmados com Covid-19 (aumento de 22%) e registros de hospitalização (crescimento de 17%).

Na rodada ainda vigente até a noite desta segunda-feira, três áreas da macrorregião Missioneira (Santo Ângelo, Cruz Alta e Ijuí) estão em bandeira vermelha. Já as regiões de Bagé e Erechim, que estavam na cor amarela, agora se somam às outras oito áreas do Estado em classificação de bandeira laranja.

Cogestão

Das 21 regiões Covid, apenas Uruguaiana, Bagé e Guaíba não aderiram ao sistema de cogestão do distanciamento controlado. As outras 18 adotam protocolos alternativos às bandeiras definidas pelo governo: Santa Maria, Capão da Canoa, Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Santo Ângelo, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa, Palmeira das Missões, Erechim, Passo Fundo, Pelotas, Caxias do Sul, Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul e Lajeado.

As regiões em cogestão classificadas em bandeira vermelha podem adotar regras de bandeira laranja, e as classificadas em laranja podem adotar protocolos de bandeira amarela, basta que enviem protocolos próprios adaptados à Saam (Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios).

A adoção de protocolos alternativos não altera as cores do mapa definitivo, que será divulgado após análise dos recursos pelo Gabinete de Crise, na tarde de segunda-feira (16), por meio de notícia publicada no site do governo do Estado.

Porto Alegre

Das seis regiões que integram a macrorregião Metropolitana e onde se concentra a maior estrutura de atendimento, cinco áreas ingressam em bandeira vermelha nesta 28ª rodada preliminar. Com 4.884 casos ativos nesta semana, Porto Alegre viu cair de 263 para 239 o número de leitos livres de UTI nesse período.

A queda ocorreu depois de o registro de pacientes Covid-19 em tratamento intensivo saltar de 242 para 276 de um monitoramento para o outro. Situação parecida foi registrada nos casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em UTI, que passou de 277 para 295 nesta semana.

(Marcello Campos)