O Rio Grande do Sul registrou 1.189 novos casos de coronavírus e mais quatro mortes provocadas pela doença, de acordo com dados divulgados no domingo (15) pela Secretaria Estadual da Saúde.

Os óbitos registrados foram de uma mulher de 82 anos, de Alvorada; um homem de 58 anos, de Viamão, uma mulher de 70 anos, de Catuípe; e um homem de 83 anos, de Caçapava do Sul.

Com as novas ocorrências, o total de casos confirmados de coronavírus no Estado aumentou para 278.707. O número de óbitos subiu para 6.219. Entre as pessoas infectadas pelo coronavírus no Rio Grande do Sul, 258.555 (93% dos casos) já estão recuperadas da doença, que atinge todos os municípios gaúchos.

Porto Alegre segue liderando o número de casos confirmados, seguido de Caxias do Sul, Canoas, Passo Fundo, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Santa Maria, Gravataí, Pelotas e Alvorada.

Pedidos de reconsideração

Com o aumento de bandeiras vermelhas, subiu também o número de pedidos de reconsideração ao mapa preliminar nesta 28ª rodada do modelo de Distanciamento Controlado. Até as 6h da manhã do domingo (15), prazo limite para envio dos recursos, o governo do Estado recebeu 12 solicitações, todas partiram de regiões ou municípios classificados em bandeira vermelha.

É o maior número de recursos desde a 15ª rodada do Distanciamento Controlada, em 16 de agosto, quando foram 28 pedidos. No mapa divulgado na sexta-feira (13), onze regiões do Rio Grande do Sul foram classificadas com risco epidemiológico alto: Porto Alegre, Guaíba, Canoas, Novo Hamburgo, Caxias do Sul, Capão da Canoa, Santo Ângelo, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa e Passo Fundo. As outras 10 regiões foram consideradas com risco médio, e estão na bandeira laranja.

Em Porto Alegre

A Prefeitura de Porto Alegre alterou os critérios para testes de detecção de Covid-19. Agora, a presença de apenas um sintoma compatível com a doença provocada pelo novo coronavírus e o contato por uma hora no mesmo ambiente de trabalho (anteriormente, o mínimo era de quatro horas) com pessoa que teve resultado positivo em exame PCR – mesmo assintomática – justificam a realização do teste.

A diretora da Atenção Primária da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Diane Nascimento, explica que a intenção é garantir maior agilidade na testagem e diminuir a transmissão e circulação do vírus na cidade.

A prefeitura vem ampliando gradualmente a testagem em Porto Alegre, em função da capacidade de realização dos exames. Na semana passada, a SMS divulgou que mais de 203 mil testes já foram feitos pelo SUS e a rede privada na Capital.

Há indicação para realização de testes (o tipo varia de acordo com os critérios estabelecidos pela SMS) para todas as pessoas sintomáticas, familiares assintomáticos de casos positivos e para quem teve contato com infectados no ambiente de trabalho.