A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Goiás decidiu há pouco, por unanimidade, arquivar as investigações do Ministério Público goiano contra o padre Robson de Oliveira Pereira, por desvio de recursos de fieis.

A Operação Vendilhões foi deflagrada em agosto, depois de os investigadores identificarem desvios milionários das contas de uma entidade presidida pelo padre e que administrava doações de fieis para a construção da Basílica Trindade, cidade na Região Metropolitana de Goiânia.

O padre teria utilizado milhões das doações dos fieis para comprar imóveis de luxo, como fazenda de 6,3 milhões de reais e uma casa na praia de Guarajuba (BA) de 3 milhões de reais.

Na decisão desta terça, o desembargador Nicomedes Domingos Borges votou pelo arquivamento das investigações, sendo acompanhado pelos demais colegas do colegiado.

Ao Radar, o MP de Goiás disse que só irá se pronunciar sobre o caso depois de ser notificado da decisão.

A operação foi deflagrada em 21 de agosto. Desde então, os investigadores se dedicavam a examinar documentos e periciar aparelhos de telefone dos investigados. A decisão do TJGO trava as investigações – o MP ainda pode recorrer – justamente numa etapa vital do trabalho.

O MP investiga cinco crimes relacionados ao padre e figuras ligadas à entidade – 2 bilhões de reais movimentados nas contas em dez anos — que recebia doações de fieis para a construção da basílica: apropriação indébita, lavagem de dinheiro, falsificação de documentos, sonegação fiscal e associação criminosa.

Continua após a publicidade