Instituído em 2019 com o propósito de fazer uma política diferente, o grupo “Muda Senado”, com 15 parlamentares, não aprovou o nome de Kassio Marques para o lugar de Celso de Mello no Supremo Tribunal Federal (STF).

No grupo de comunicação interna, esses senadores têm criticado a indicação do desembargador. Em especial, a forma como está sendo conduzido esse processo: os argumentos de Bolsonaro a favor de Kassio – que é um amigo, que toma tubaína com ele, é um nome que vai defender interesses do governo -; a  visita a Gilmar Mendes e a Toffoli – dois ministros alvo de pedidos de impeachment de integrantes desse grupo;  e, por último, a “sabatina” a que o desembargador foi submetido pelos irmãos Weintraub, algo tido como inaceitável.

“O pronunciamento do presidente é de causar perplexidade. Alegar que amizade é importante e indicar alguém que defenda interesses do governo e não da Constituição não pode ser aceitável. A maioria do grupo não gostou, mas não tem posição fechada. Vamos exigir respostas dele na sabatina”, disse o senador Lasier Martins (Podemos-RS).

 

 

Continua após a publicidade