Protocolos de intenções foram assinados com o governo do Rio Grande do Sul

Presente em 500 MAIORES DO SUL, ArcelorMittal Gonvarri investirá R$ 52,5 milhões até 2022 em Glorinha

O governo gaúcho, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur) e da Secretaria da Fazenda (Sefaz), assinou, nesta segunda-feira (21), dois protocolos de intenções que trarão mais de R$ 100 milhões em investimentos para o Rio Grande do Sul. Um deles foi com a ArcelorMittal Gonvarri Brasil Produtos Siderúrgicos para a instalação da empresa no Rio Grande do Sul. Outra assinatura foi feita com a GSI Brasil para fortalecer as atividades industriais da companhia em solo gaúcho.

ArcelorMittal
O acordo prevê a instalação de uma unidade produtiva no município de Glorinha, com investimento de R$ 52,5 milhões até 2022 e a criação de cerca de 100 empregos diretos. Em contrapartida, o governo estadual se compromete em conceder diferimento do pagamento do ICMS devido nas aquisições de fornecedores localizados no Estado que produzem máquinas e equipamentos industriais, bem como acessórios e ferramentas. O texto também propõe a isenção do pagamento do diferencial de alíquota do ICMS relativo às aquisições destes itens vindos de outras unidades da Federação, desde que não aplicável a alíquota federal de 4%, e o diferimento nas importações de máquinas e equipamentos industriais, acessórios e ferramentas, desde que não tenha fabricação similar no Rio Grande do Sul.

A ArcelorMittal, que tem unidade em Araucária (PR), industrializa autopeças, além de comercializar aços laminados planos, visando atender às indústrias automobilística e metalmecânica em geral. Além da unidade paranaense, a empresa tem fábrica em Hortolândia (SP) e filial comercial em São Leopoldo (RS). A ArcelorMittal é a 122ª empresa da região e a 51ª do Paraná, de acordo com o ranking 500 MAIORES DO SUL, publicado por AMANHÃ com o apoio técnico da PwC.

https://amanha.com.br/categoria/negocios-do-sul1/bunge-alimentos-e-a-maior-do-sul-seguida-de-perto-por-outra-catarinense-a-brf

GSI
Com unidades em Marau e Passo Fundo, no norte do Estado, a GSI fará investimento de R$ 50 milhões até 2026. Há mais de 40 anos no mercado, a GSI é uma empresa do grupo AGCO que atua nos segmentos de equipamentos para armazenagem de grãos e também no segmento de equipamentos para produção de proteína animal.

O objetivo é melhorar e ampliar a infraestrutura produtiva envolvendo máquinas, equipamentos e estruturas físicas para a continuidade das operações da empresa no Estado. Além disso, a GSI se compromete com a manutenção de cerca de 500 empregos diretos. Em contrapartida aos investimentos da empresa, o governo se compromete a elaborar uma minuta de projeto de lei para a criação de uma política de incentivo a armazenagem de grãos no Rio Grande do Sul. Com o objetivo de fomentar a indústria de silos, o texto permitirá a transferência de saldo credor acumulado pelas empresas.

O governo estadual também assegura o diferimento do pagamento do ICMS devido nas aquisições de fornecedores localizados no Rio Grande do Sul de máquinas e equipamentos industriais, bem como acessórios e ferramentas. O diferimento também se aplica nas importações dos mesmos produtos, no caso de não haver similar fabricado no Estado. Além disso, a Secretaria da Fazenda isentará do pagamento do diferencial de alíquota do ICMS relativo às aquisições destes itens vindos de outros Estados, desde que não incidente a alíquota federal de 4%.

Além de todos os benefícios firmados no protocolo de intenções, o setor de fabricação de silos para armazenagens de grãos é favorecido, desde o ano passado, pela redução da carga tributária de 18% para 12% nas aquisições internas do aço, conforme medida introduzida pelo Decreto nº 54.936/19. No Rio Grande do Sul, as unidades produtoras da GSI ficam nas cidades de Marau e Passo Fundo. A GSI fatura anualmente cerca de R$ 300 milhões nas unidades do Estado e emprega cerca de 500 funcionários.