João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi morto por asfixia, segundo análise inicial. Homem foi espancado por dois seguranças brancos. Os suspeitos tiveram prisão preventiva decretada. Um grupo de pessoas protestou, na tarde desta sexta-feira (20), em frente a unidade do Carrefour, em Porto Alegre, onde um homem negro foi espancado e morto por dois homens brancos que faziam a segurança do local. Os suspeitos tiveram prisão preventiva decretada. Análise inicial aponta que João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi morto por asfixia.
Manifestação em frente ao Carrefour, em Porto Alegre
Matheus Beck/G1
Grupo protestou contra morte de homem negro que foi espancado por seguranças, em Porto Alegre.
Matheus Beck/G1
Manifestação em frente a supermercado da capital gaúcha.
Matheus Beck/G1
Grupo segura cartazes ‘Vidas Negras Importam’, em Porto Alegre.
Matheus Beck/G1
Manifestantes se reuniram em frente a loja onde um homem negro foi espancado e morto na véspera do Dia da Consciência Negra (nesta sexta, 20).
Matheus Beck/G1
Manifestação em Porto Alegre.
Matheus Beck/G1
Grupo pede justiça por João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, espancado e morto por dois homens brancos.
Matheus Beck/G1
Grupo esteve concentrado na unidade onde crime aconteceu, em Porto Alegre.
Matheus Beck/G1
Initial plugin text