Representantes do setor vinícola e derivados participaram de forma virtual e presencial de reunião da Câmara Setorial da Uva, Vinho e Derivados, coordenada pela Seapdr (Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural) na terça-feira (17). O encontro ocorreu depois de mais de três anos – a última reunião foi em 2017 – para debater uma proposta conjunta do Rio Grande do Sul de modificações na lei do vinho, a ser levada para a Câmara Nacional Setorial da Cadeia Produtiva da Viticultura, Vinhos e Derivados no início de dezembro. Também devem ser encaminhadas mudanças na lei do vinho colonial.

O Rio Grande do Sul é o maior produtor nacional de uvas, com participação de 90% da produção de vinhos e espumantes. “Como é uma proposta que está sendo construída entre os diversos setores da cadeia produtiva, é importante o retorno deste fórum oficial para discussão e alinhamento interno para depois termos um encaminhamento que será apresentado durante a reunião da Câmara Nacional”, avalia a coordenadora da Câmara Setorial e chefe da Divisão de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal da Seapdr, Fabíola Lopes.

A Câmara Setorial da Uva, Vinho e Derivados foi criada pelo Decreto 48.971/2012 e tem por objetivo definir, orientar e discutir políticas, estratégias e diretrizes relativas à viticultura e à enologia, visando aumentar a sua competitividade, de modo que venham a ser traçadas linhas harmônicas para as necessidades de desenvolvimento de toda a cadeia produtiva, bem como estabelecidas relações benéficas entre agricultores, trabalhadores, produtores, fornecedores, consumidores, empresários e Administração Pública Estadual.

A próxima reunião da câmara será no dia 1º de dezembro, e a reunião da Câmara Nacional deve ocorrer também no mesmo mês.