Pepe Vargas (PT) e Adiló (PDDB) disputam o cargo na serra gaúcha no próximo dia 29. Confira a entrevista dos candidatos que vão para o segundo turno em Caxias do Sul
Pepe Vargas (PT) e Adiló (PSDB) vão decidir em 2º turno, no próximo dia 29, quem será o prefeito de Caxias do Sul, na serra gaúcha.
Ao fim da apuração, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Pepe Vargas teve 75.211 votos (34,20% dos votos), ante 33.961 de Adiló – o que representa 15,44% dos votos.
Pepe Vargas e Adiló disputam 2º turno em Caxias do Sul
A eleição em Caxias do Sul teve 24,82% de abstenção, 5,28% votos brancos e 6,54% votos nulos. Confira os número da votação em Caxias.
Em entrevista à RBS TV na segunda-feira (16), os candidatos falaram sobre os principais projetos que pretendem implementar, caso eleitos. Confira.
Pepe Vargas (PT)
Pepe Vargas (PT)
Reprodução/RBS TV
Pepe Vargas (PT) é natural de Nova Petrópolis, médico, atualmente deputado estadual pelo PT/RS. Já foi prefeito de Caxias do Sul, entre 1997 e 2004. Atuou como deputado federal e ministro no governo Dilma Rousseff. Ele tem um patrimônio declarado de R$ R$388.151,38. O vice é Cláudio Libardi, do PC do B.
Pandemia
Questionado sobre qual é a urgência da cidade da serra gaúcha, o candidato falou sobre a pandemia do coronavírus.
“A primeira providência que tomaremos é garantir que haja testes suficientes para que a gente possa ter uma política de testagem adequada de quem for sintomático, para fazer a quarentena de forma adequada”, afirma.
Restrições econômicas
Por conta da pandemia, o candidato foi questionado sobre como pretende lidar com o comércio devido à continuidade da doença, caso eleito.
“A saúde e a economia têm que andar juntas, de mãos dadas para enfrentar essa crise. A saúde é o que garante o o funcionamento da economia, e a economia funcionando, de forma adequada, também garante os recursos necessários para que a saúde possa atender melhor as pessoas. É assim que nós faremos”, projeta.
Caxias sem fome
Entre as propostas, o candidato do PT pretende desenvolver um programa para distribuir alimentação para a população que precisa.
“Nós vamos fazer um governo com diálogo, com participação. Nós vamos governar para todos, obviamente que sempre priorizando aqueles que mais precisam das políticas púbicas”.
“Vamos mobilizar a sociedade nesse objetivo que é uma Caxias sem fome e focar nos programas de geração de trabalho e renda para as famílias que mais necessitam”.
Mobilidade urbana
Pepe Vargas falou sobre a construção do VLT, principalmente no que diz respeito ao financiamento da obra.
“Estamos propondo uma licitação pública, onde o empreendedor faz o investimento, não teremos recursos públicos investidos. Se o estudo econômico indicar uma possibilidade de parceria público-privada, também podemos fazer”, afirma.
Adiló Didomenico (PSDB)
Adiló Didomenico (PSDB)
Reprodução/RBS TV
Adiló Didomenico (PSDB) tem 68 anos, é viúvo e tem ensino superior completo. Ao TSE se declara como economista. Ele tem um patrimônio declarado de R$ R$884.658,36. A vice é a vereadora Paula Ióris.
Novo modelo de política
Questionado sobre qual é a urgência da cidade da serra gaúcha, o candidato falou sobre uma mudança na forma de governar.
“Caxias quer um novo modelo de política, quer a renovação, mas com segurança. Hoje a principal bandeira nossa e a marca do nosso governo será a retomada do desenvolvimento econômico de Caxias do Sul. Sem isso, tu não tem como fazer o social, a saúde e a educação”, explica.
Pandemia
Adiló defende campanhas permanentes de conscientização sobre a pandemia do coronavírus e a abertura do comércio, seguindo os protocolos recomendados pelas autoridades de saúde.
“Em 12 de abril eu encaminhei um documento ao governador Eduardo Leite pedindo a abertura gradual da economia, adotando os protocolos que a saúde recomenda, o uso da máscara, o álcool em gel, evitar aglomerações, não tem outra forma. A economia depende da saúde, e a saúde depende da economia. Nós precisamos estar muito alinhados até não surgir uma vacina. Mas eu não consigo entender que deixar as lojas fechadas seja uma solução, muito pelo contrário”, pontua.
Parceria público-privada
Candidato propõe parceria público-privada para aproveitamento dos pavilhões onde é realizada a tradicional Festa da Uva do município.
“A saída para esse patrimônio enorme aqui é uma parceria público-privada. Hoje, Caxias não tem recursos para fazer investimentos que precisa e isto aqui é uma área que rapidamente pode trazer eventos e significar um desenvolvimento econômico muito rápido para Caxias do Sul”.
Mobilidade urbana
Sobre o transporte público, Adiló fala que a sobrevivência do setor depende da diminuição do preço da passagem, além da atualização da Lei do Transporte Público da cidade.
“Nós vamos contratar, imediatamente, um plano de mobilidade urbana. O transporte coletivo só vai sobreviver se nós conseguirmos reduzir a passagem e isso, nós vamos ter que fazer uma ampla discussão com a sociedade, adotando critérios justos para gratuidade, adotando roteiros, mas pra isso, precisa um bom plano de mobilidade”, afirma.
“Nós precisamos adotar ônibus elétricos, fazer um projeto para um VLT”.
Initial plugin text